Follow by Email

sábado, 16 de outubro de 2010

O melhor dia é o dia de hoje!




Todo o dia,todo o santo dia eu acordo pensando no que irá me acontecer de bom, em qual notícia irá mudar o meu corriqueiro dia.

Todo dia da semana, eu abro o olhos e penso comigo; É hoje o dia! Hoje eu recebo aquela notícia do tão esperado aumento. Hoje o telefone vai tocar e vai ser ele, o grande amor da minha vida me chamando pra sair. Mal toca o despertador, lá estou eu, otimista da vida sonhando acordada. E é sempre assim, cada dia que eu acordo, sempre será o grande dia. O dia das grandes realizações.

Mal sabemos que todo dia é o grande dia. Todo dia acontece algum milagre que nem percebemos. Todo dia somos salvos de algo que eu nem sabíamos. Todo esse mesmo santo dia é abençoado com alguma surpresa boa, da qual nós nem sonhávamos.

Nunca pensamos na possibilidade de sermos atropelados, e, no entanto hoje, quase fui assaltada. Por minutos eu não perco o voo, e por pouco cheguei a tempo na escola pra ver a apresentação da minha filha. Por alguma razão eu também perdi um voo, que caiu, e onde a única sobrevivente sou eu,justamente porque não estava naquele voo.

Ok, o telefone não tocou, e nem mesmo aquela pessoa era o amor da minha vida. Sim porque essa pessoa apareceu uns meses depois na fila da livraria. Enquanto eu comprava um livro pra me distrair do suposto grande amor da minha vida, que, na verdade nunca ligou.

Na verdade, todos os dias são especiais. E não são os grandes acontecimentos que tornam esses dias peculiares. Porque na maioria das vezes, a diferença está nos mínimos detalhes que a vida no reserva como surpresa. Um sorriso, uma flor se abrindo, uma frase qualquer, um site que seja. Qualquer coisa que for, mas que seja o seu insight de que todos os dias por pior que pareça ser, vale, e muito a pena! Carpe Diem

segunda-feira, 11 de outubro de 2010


Eleições X Dia das Crianças
Domingo passado foi dia de eleições, dia de votar nos futuros governantes do nosso país. De eleger certas pessoas para nos conduzir há um futuro melhor. Isso para não dizer, menos ruim.
Isso mesmo, hoje em dia, infelizmente é assim que o povo se refere ao futuro dos país. Não é mais escolher as pessoas certas, e sim certas pessoas. Não é mais construir um futuro melhor, e sim, um futuro menos triste para as gerações que virão.
Estamos sem alternativas de boas escolhas, frente a tantos escândalos e golpes financeiros instalados no congresso brasileiro.
Há quem diga que essa pouca vergonha não venha de dias atrás, e outros mais conformistas, dizem que sempre foi assim desde que o mundo é mudo. Pode até ser, mas antigamente havia mais indignação da população, mais revolta e até mesmo atos de represália contra as barbáries e injustiças do governo para com o povo.
Havia sim, um país mais esperançoso talvez. Um brasileiro no mínimo mais consciente do que estava acontecendo por de trás dos panos e das cortinas do senado, pois essas pessoas se posicionavam de alguma forma, contra os abusos do poder. Porém hoje é patético. É sim, patético eleger o palhaço. O povo brasileiro elege o palhaço e ainda ri. Sem se dar conta, que o maior palhaço dessa história, é ele mesmo.
Tudo bem se você acha que está tudo perdido, e que nessas eleições não tivemos escolha entre o ruim e o pior. Tudo bem que você neste momento está descrente com a situação, pois não teve aquele aumento, e seu trabalho é uma bela porcaria. Tudo bem que, nesses próximos quatros anos não teremos o desenvolvimento e crescimento político-econômico que gostaríamos. Mas fazer disso, piada? Entregar os pontos como se o mundo fosse acabar se o candidato que você votou não foi o escolhido, mesmo sendo ele, a seu ver o mais adequado e justo?
Nada disso companheiros. Depois da tempestade sempre vem a bonança. E pra que não dizer:
Depois das eleições vem o dia da criança. Exatamente, isso mesmo. Está aqui o nosso motivo de ter esperança, de dar o nosso melhor hoje, fazer as nossas melhores escolhas, para que elas não passem pelo o que nós passamos dias atrás.
Para que elas, as crianças ,daqui alguns anos, possam ter a oportunidade de votar em alguém que faça valer a pena. E se não me engano, essa pessoa a ser escolhida, será uma delas. Será uma dessas crianças.
Feliz dia da criança pra você também.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Proibido é não gostar de si mesmo!


Quem nunca teve que consolar um amigo que levou um fora que levante o dedo?
Sim, também é para essas ocasiões que servem os amigos.
Conselho vai, conversa vem E essa amiga me faz uma pergunta, que, confesso. Não soube responder num primeiro momento.
Eis que ela me pergunta:
Não deveria ser proibido gostar de quem não gosta da gente?
Admito que na hora, concordei e disse que sim, que deveria mesmo existir uma lei onde ficaria proibido gostar de quem não nos gosta. Pronto, simples assim,sem choros, sem sofrimento e também sem emoção e crescimento pessoal.
Vocês devem estar pensando, mas essa mulher é masoquista. Onde é que se viu gostar de sofrer por amor? Mas de forma alguma eu disse isso, não interpretem mal, antes de eu explicar os porquês de tal afirmação.
Não deve ser proibido gostar de quem não gosta da gente. Deve sim ser incentivado o autoconhecimento. Carece também, ser desenvolvido desde muito pequeno o amor próprio para a construção de uma boa autoestima, pois o problema não está em gostar de quem não nos valoriza, e sim em nós não nos valorizarmos.
Este, a meu ver é o maior problema do ser humano.
Subestimamos a nossa capacidade o tempo todo, dizendo que nunca seríamos capazes de fazer isto ou aquilo, que a nossa beleza não chega aos pés da Camila Pitanga ou do Brad Pitt, e que está muito abaixo dos padrões ditados pela mídia. Mas venhamos e convenhamos, porque alguém disse você vai acatar? Não desmerecendo a beleza alheia, mas se você se aceitar da forma que você é, e for feliz assim, que se dane a moda, a impressa e o resto da mídia. Você é mais você e ponto final.
Somos frutos de nossas escolhas, somos o que quisermos ser, se soubermos realmente quem somos. E é aqui que mora o perigo, pois a maioria de nós tende a gostar de quem não gosta da gente, porque não sabe exatamente quem é. Ou porque em alguma curva da vida, se perdeu de si mesmo.
Então meus caros, mais uma vez eu repito, se fosse para proibir alguma coisa;
Que fosse proibido não gostar de si mesmo. Porque o outro, bem, nesse caso, o outro, não nos diz respeito.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Sem Culpas


Nessas últimas semanas estou inquieta. Na verdade não estou inquieta, é minha mente que está. Até chegar aqui, não saberia dizer o porquê de tal inquietude mental, praticamente instantânea. Porém, logo no início, logo de saída, nas primeiras palavras eu constatei; Talvez porque são elas, às últimas.
Mas como assim? Vocês devem estar pensando. Elas quem?
As últimam semanas do inverno, que por sinal esse ano passou longe daqui, deve ter ido passear em algum lugar mais quente, por que frio que é bom, aqui nos pampas gaúchos esse ano ainda não fez. E já é chegada a primavera.
Lá vem ela, com suas lindas flores e deliciosos aromas que encantam e enfeitam as ruas por onde passamos. Lá vem ela com seus pássaros e pólens fecundando a natureza e anunciando o verão. O soberano das estações, eleito pela maioria, o astro rei das temporadas, pela sua sensualidade, calor e extravagância das cores.
O verão é tudo isso com certeza, e a primavera também, sem sombra de dúvidas. Mas eles têm a outra face da moeda, que é o que eu vinha me referindo desde o início....
Lembram? O início das ultimas?
Com essas estações, chegamos por fim, nas ultimas semanas do ano, do tão planejado ano de dias atrás, ou seja, janeiro passado!
E, essas ultimas semanas, meses que sejam, geralmente vem acompanhados da cobrança, de tudo o que não conseguimos fazer até aqui. De todas as coisas que planejamos e mais uma vez não conseguimos cumprir, de todo o tempo desperdiçado com bobagens que considerávamos de alguma forma importante naquele momento. E quer saber?
Eram importantes sim! Tudo o que deixamos de fazer, que adiamos até aqui, que pensamos e não realizamos. Todas essas coisas que não aconteceram, tinham que não acontecer para podermos estar aqui concluindo isso tudo.
Podemos não ter entrado na academia, e também não ter encontrado o príncipe encantado. Não ter trocado o carro e muito menos conhecido a Europa.
Sejamos realistas, não deu e ponto final. Chega de culpa!
Pois isso não significa que seu ano não deu certo. Afinal, você começou a caminhar, o carro ficou o mesmo, mas o sorriso do seu filho em ter ganhado aquela viajem com a turma foi impagável. O príncipe? Bem, esse não existe mesmo, mas não da pra dizer que aquela viagem a gramado com o gostoso do vizinho não tenha valido a pena.
Aproveitemos e desfrutemos o que temos agora, o que é possível hoje! Devemos sim fazer planos para o futuro, mas os fatos de eles não terem acontecido no tempo em que determinamos, não significa que eles não deram certo. Eles apenas foram mais uma vez protelados para um futuro não muito distante. Só depende de nós!

O Sorriso do mundo


Ponha um pouco de amor na sua vida.
Enchergue com os olhos do coração, com a pureza das crianças e a sabedoria dos mais velhos.
O mundo com certeza será mais alegre e colorido através dessa ótica.
Agradeça sempre que puder, mesmo que os ventos não soprem a seu favor.
E tudo, por fim, sorrirá pra você!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Dicas fundamentais de beleza


Recomendo que;
Ao acordar, abra a janela e com ela um sorriso, pois ele iluminará seu dia independente do teu tempo lá fora.
Escute a sua música predileta;
E também uma música nova por dia e cante-a por inteiro.
Diga a alguém que você o ama;
Cumprimenta alguém desconhecido quando estiver na rua;
Descubra um caminho alternativo, aquele que você costuma fazer pra ir trabalhar, e preste atenção neste novo caminho.
Desligue a tv e converse com as pessoas ao seu redor;
Leia um poema por dia;
Um gibi por semana;
Um livro por mês;
De uma flor para alguém desconhecido;
De alimento ao invés de moedas;
Faça um trabalho voluntário;
Coloque os pés descalços;
Beba muita água, porém não desperdice a água.
Elogie quando a pessoa tiver êxito;
Desligue o celular por 10 min;
Deixe mais vezes seu carro na garagem, pegue bus ou saia a pé;
Recicle o lixo;
Fale baixo, mas pense alto;
Freqüente ao cinema, ou teatro;
Vire cambalhota;
Escreva uma carta, e coloque no correio;
Ria a toa;
Tome banho de chuva;
Coma a fruta do pé;
Plante uma árvore;
Cultive uma flor, ou um jardim;
Enfim, invente algo que lhe faça bem, e o faça.
Ao menos tente, invente se reinvente todo dia!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Amor é um primo biruta


Computador ligado, olhos vidrados na tela, observo com calma e curiosidade os dizeres dos meus contatos no Messenger, e um deles me intrigou, pois estava escrito a seguinte frase:
“dizem que o amor demora”... E mais alguma coisa que complementava o dizer, mas que não lembro certo o que era.
Porém dizem tanta coisa sobre o amor;
“O amor é coisa mais alegre, o amor é coisa mais triste, o amor é a coisa que mais quero”.
Se perder um amor... Não se perca!
Se o achar... Segure-o!
Circunda-te de rosas, ama, bebe e cala.
O mais... É nada.
“amor com amor se paga”, e por aí se vão as intermináveis definições sobre o amor.
Pois para mim, o amor é aquele primo meio doido, que não conseguimos definir ao certo se amamos ou odiamos. O primo amor, a meu ver só pode sofrer do transtorno de bipolaridade crônica.
É difícil explicar, porém é mais difícil entender esse polêmico “primo”. Na maioria das vezes, o amor é muito amável, dócil, alegre e generoso. Chega de mansinho, com aquele sorriso estampado no rosto, cheio de excelentes novidades, que te propõe um infinito de alegrias. Ah, mas eu, que não sou boba nem nada lembro bem do que esse gentil primo me aprontou há mais ou menos 2 anos atrás, em plena festa de natal. Não, aquilo eu jamais esqueceria, mesmo que eu quisesse, pois foi um sofrimento e tanto.
Já é sabido o ditado; gato escaldado tem medo de água. Eu é que não ia me entregar novamente aos encantadores sorrisos desse primo biruta.
Mas que nada! Doce ilusão a minha, achar que não aos encantos do amor. Mas como resistir a alegria que ele me causava? Como evitar aquela maravilhosa companhia, que me deixava radiante, e com o poder de enxergar tudo mais contente e colorido. Não, eu não resisti! Peguei da mão do amor, e fui passear sem pensar onde ele me levaria, afinal, estava tão bom.
E estava mesmo, porém estava. Foi mais ou menos na metade do caminho, que o amor começou a dizer que estávamos perdidos. Mas pensei comigo: perdida com o amor? Eu ficaria a eternidade! Entretanto, o amor começou a cansar, disse que não estava tão contente e que não deveria ter me levado tão longe. O semblante do amor mudou, o alegre sorriso foi tomado por olhos sinistros de medo e dor. Comecei a ficar assustada, não parecia à mesma pessoa de dias atrás. O alegre amor, agora estava triste e sombrio, quase calado, fechado num mundo frio e gelado que era só dele.
Por um momento quase me desesperei, queria bater naquele primo louco que me prometeu alegria e prazer e agora me oferecia tristeza e dor. Que ódio do amor! Como pode a mesma pessoa despertar diferentes sentimentos, como pude eu deixar-me enganar por esse primo insano outra vez?
Foi quando ele me olhou e disse: Não me culpes por ser assim, tão inconstante. Quem mais sofre sou eu em fazê-la sofrer. Você até pode confiar em mim, mas esteja segura de si, pois eu sou um pobre louco que vaga por aí, há procura de um porto seguro. Antes de me dar a mão e sair a passear comigo, faça as pazes com você, se ame e se curta muito. Depois se achar que deves me chame, e aí sim, poderemos fazer um longo eterno passeio.